Curso de Graduação em Cinema
  • Estreia de Curta-metragem: “Guardiãs da Ilha da Magia” de Janaina Trasel, professora de Artes Cênicas, com direção de fotografia pela aluna de cinema Kristel Hemmer e desenho de som do aluno Italo Zaccaron

    Publicado em 25/05/2021 às 22:50

    “Guardiãs da Ilha da Magia” é um curta-metragem que convida os espectadores a navegarem por lugares físicos e mitológicos de Florianópolis, povoados por lendas de bruxas que habitam a ilha da magia. Para além da forma como a bruxa é geralmente retratada no imaginário popular, com nariz grande e corcunda, temida por seus feitiços e perseguida por seu conhecimento, o filme propõe a ressignificação desse imaginário, lançando um olhar poético sobre as curandeiras. Aquelas que conhecem as medicinas da terra, guardiãs de saberes ancestrais, que benzem com as palavras, escutam as plantas, realizam alquimias com as ervas e ativam o potencial de cura dentro de cada ser. Curandeiras, bruxas, feiticeiras, sacerdotisas, xamãs – mulheres, cujo templo é a natureza e cujo altar é o amor no coração. Caminham descalças sobre a terra, se conectam com a intuição, ouvindo a voz da Mãe Terra e girando na roda da vida em sintonia com os ciclos da natureza.

    Sinopse:

    Uma misteriosa mulher levará você a navegar pelas quatro direções da ilha, adentrando nos quatro portais de magia localizados nas direções cardeais. No Norte da ilha adentraremos na “Caverna das feiticeiras” localizada na “Praia dos Ingleses”. Lá encontraremos uma anciã, que benze através de encantamentos sonoros e trança nos cabelos os ecos das sabedorias ancestrais, reverberando de geração em geração as vozes das guardiãs curandeiras. À Oeste da ilha navegaremos até perto do continente, rumo ao “Salão de festas das bruxas”, um conjunto de pedras dentro do mar na Praia de Itaguaçu. Essas pedras estão envoltas em lendas sobre bruxas que foram petrificadas por um feitiço, como conta o conto de Peninha, que escreveu baseado nas histórias de Franklin Cascaes. Lá, encontraremos a vovô benzedeira, que realiza magias com alecrim para libertar as mulheres petrificadas. No Leste da ilha, iremos até o Morro da Oração, localizado entre a Barra da Lagoa e a Praia do Galheta, um sítio arqueológico guardião dos mistérios sobre as relações entre a terra, o sol, a lua e as estrelas. Lá as pedras foram posicionadas por ancestrais de modo que, nos equinócios de primavera e de outono e nos solstícios do inverno e do verão, um facho de luz solar atravessa por entre as pedras, formando alinhamentos do sol que marcam os ciclos da natureza. No Sul da ilha, navegaremos com as crianças nas águas maternais, fluindo pela Lagoa do Peri e pelo mar da Praia da Armação, onde encontraremos a baleia franca e o seu filhote, guardiãs das águas do mar. Nesse navegar pelas quatro direções sagradas da Ilha da Magia, dançamos, cantamos e honramos as curandeiras ancestrais e as contemporâneas, guardiãs dos saberes das medicinas da terra.

    A direção, o roteiro e a produção é de Janaina Trasel Martins, professora do Departamento de Artes da UFSC, contando a equipe com os estudantes do Curso de Graduação em Cinema, Kristel Hemmer responsável pela direção de fotografia e montagem (bolsa PIBIC), e Italo Zaccaron responsável pelo desenho do som, mixagem e masterização (bolsa Cultura/Secarte).

    Realização:

    • Cantos de Gaia (Núcleo de Pesquisa e de Extensão vinculado ao Departamento de Artes da UFSC)
    • SecArte (Secretaria de Cultura e Arte da UFSC) – Pró-Cênicas.

    Apoio:

    • Bolsa Cultura/SecArte.
    • Bolsa PIBIC/CNPQ/Propesq/UFSC
    • Departamento de Artes – Curso de Graduação em Artes Cênicas e Curso de Graduação em Cinema.

     Estreia do filme “Guardiãs da Ilha da Magia”

    • Quando: Lua cheia de 28 de maio de 2021
    • Duração: 22:22
    • Horários:

    – 20h15 – na TV UFSC – canal 15 da NET e no canal aberto 63.1 da Grande Florianópolis
    – 21h – no canal do Youtube do Cantos de Gaia – https://www.youtube.com/channel/UCkif3inGrpxrzLQBsxbUnKw
    – 22h – no canal do Youtube da SecArte – https://www.youtube.com/channel/UCvDMbvZfT5sYC3jupTn7WGQ

     


  • Matrículas 2021/1

    Publicado em 25/05/2021 às 9:37

    ⚠️ DATAS IMPORTANTES

    20 a 24/05/2021 – 1ª Etapa de matrículas (online, via CAGR) para o semestre 2021/1: – Período para renovação de matrícula para os veteranos

    – Calouros(as) de 2021 serão matriculados automaticamente nas disciplinas da 1ª fase, não sendo necessário solicitar matrícula em disciplina, apenas aguardar o início do semestre. Caso queiram solicitar algum ajuste (matrícula em disciplina optativa, por exemplo) devem fazer o pedido por e-mail: cinema@contato.ufsc.br

    31/05/2021 – Resultado da 1ª Etapa de Matrículas no CAGR (realizada no período de 20 a 24 de maio)

    01 a 04/06/2021 – 2ª Etapa de Matrículas (Período para ajustes de matrícula via CAGR)

    08/06/2021 – Resultado da 2ª Etapa de Matrículas (referente aos ajustes de matrícula realizados de 01 a 04 de junho)

    10 e 11/06 – Ajuste Matrículas (Período extra para ajustes de matrícula via CAGR)

    14/06/2021

    – Resultado do Ajuste de Matrículas (referente ao período extra de ajustes de matrícula realizados em 10 e 11 de junho)
    – Início do semestre letivo 2021/1.
    – Início do período de trancamento de matrícula no semestre, que permanecerá aberto enquanto vigorar o Calendário Acadêmico Suplementar .
    – Início do período para cancelamentos de disciplinas no semestre (por email: cinema@contato.ufsc.br)

    14 a 16/06/2021 – Período para encaminhamento pelos estudantes das solicitações de ajustes excepcionais de matrícula (inclusões e/ou cancelamentos de matrícula em disciplinas) para as coordenadorias (por email: cinema@contato.ufsc.br)

    19/06/2021 – Resultados dos ajustes excepcionais realizados.

    22 e 23/06/2021  Período para os “Alunos Especiais” solicitarem matrícula (on-line) em disciplinas isoladas/alunos ouvintes.

    02/10/2021 – Término do semestre 2021/1 e término do período para cancelamento de matrículas em disciplinas e trancamento de curso referente ao primeiro semestre letivo de 2021.

    Calendários acadêmicos 2021 disponíveis em: https://dae.ufsc.br/calendario-academico-de-graduacao/


  • Lançamento do livro “Ainda estavam lá” de autoria do professor do curso de Cinema Marcio Markendorf, André Ricardo Aguiar e Adriano Salvi

    Publicado em 19/05/2021 às 15:22

    “Ainda estavam lá” reúne 99 microcontos de autores catarinenses

    Obra produzida com recursos do Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura será lançada no dia 25

    Florianópolis – Com quantos dinossauros se faz um microconto? O questionamento abre o prefácio assinado pela escritora Adrienne Myrtes para o livro “Ainda estavam lá”, de autoria de Marcio Markendorf, André Ricardo Aguiar e Adriano Salvi. A obra será lançada na terça-feira, 25 de maio, às 16 horas, por meio perfil @microliteratura, no Instagram. Durante o lançamento haverá conversa com os autores, sorteio ao vivo de exemplares da obra e venda de uma pequena quantidade de livros a 10% do preço de capa (a R$ 2,50 + custo de envio).

    A pergunta de Adrienne não é gratuita. Trata-se de uma alusão ao famoso microconto do guatemalteco Augusto Monterosso: “Quando acordou, o dinossauro ainda estava lá”. Como homenagem intertextual, não apenas o projeto gráfico do livro, mas os autores brincam o tempo todo com a figura do dinossauro em microcontos ou nas minibiografias. Não é sem razão, portanto, que os jovens autores se definam como: “micronarradores por opção, jurássicos pelo amor à literatura”.

    Premiada no Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e realizada com recursos do Governo do Estado de Santa Catarina, a obra traz 33 microcontos de cada autor. Noventa e nove no total.

    Para além das referências ao dinossauro, o projeto ficcional apresenta aspectos colaborativos em suas páginas ao convidar o leitor a escrever o centésimo microconto e uma microcrítica no próprio livro. Aliás, a quarta capa do livro sugere a continuidade desse jogo lúdico e criativo com o letreiro “Alimente o dinossauro”.

    “Ainda estavam lá” vale-se da linguagem cotidiana das redes sociais para despertar no leitor outros prazeres estéticos instantâneos, estimular questionamentos sobre arte e cotidiano e promover a leitura em outros formatos. Marcio Markendorf, coordenador do projeto, aludindo à velocidade de recepção dessa literatura portátil, faz um novo jogo jurássico para descrever sua obra: “Os microcontos desse livro são de fóssil leitura”.

    Este é o segundo projeto de microcontos assinado por Marcio Markendorf e Adriano Salvi. Antes dele a dupla publicou pela Caiaponte Edições o “Microcontando” em 2019. O título foi financiado com recursos da LIC – Lei de Incentivo à Cultura de Balneário Camboriú. O fato de projetos de microliteratura terem sido premiados em editais de cultura sinaliza que o gênero, cada vez mais praticado e desenvolvido no estado, começa a ganhar visibilidade.

    Não é comum na literatura coletâneas com apenas três escritrores, o que torna especialmente rara a reunião de uma trinca de microcontistas, característica que confere ainda mais singularidade e originalidade ao projeto. Como flashes da realidade, os microcontos de “Ainda estavam lá” capturam o cotidiano em flagrante, escolhendo lentes de ironia, simpatia, espanto, afeto. No microconto “Fotografia”, por exemplo, Adriano Salvi escreve: “O tempo parou para eu passar”. A leitura desses pequenos textos, mesmo breve, deixa um impacto. E desperta apetite por mais.

    O quê?: Lançamento do livro de microcontos “Ainda estavam lá”, de Marcio Markendorf, André Ricardo Aguiar e Adriano Salvi
    Quando? 25 de maio, às 16 horas
    Onde? Online, no perfil @microliteratura do Instagram
    Quanto? Gratuito

     

    SOBRE OS AUTORES

    Marcio Markendorf – Atua como professor do Curso de Cinema e do Programa de Pós-graduação em Literatura da Universidade Federal de Santa Catarina, com ênfase no ensino de Literatura e Escrita Criativa. É autor da novela Soy loca, Lorca, feito um chien no chão (Urutau, 2019). Em parceria com Adriano Salvi, publicou o livro de mininarrativas Microcontando (Caiaponte Edições, 2019) por meio da lei de incentivo à cultura da Fundação Cultural de Balneário Camboriú. Publicou contos em coletâneas e periódicos, participou em exposições de arte e mantém o perfil @microliteratura no Instagram dedicado às formas brevíssimas.

    Adriano Salvi – Atua como professor efetivo na rede estadual de Santa Catarina na área de linguagens e mediação de leitura. Publicou os livros Pá Pum Microcontos (Viseu, 2019), O Parangolé da Palavra (Mercúrio, 2019) e pela Lei de Incentivo a Cultura de Balneário Camboriú em parceria com o escritor Marcio Markendorf o livro Microcontando (Caiaponte Edições, 2019). Mantém um projeto de microcontos ilustrados no Instagram: @microcontando.

    André Ricardo Aguiar – Atua como jornalista, revisor e divulgador cultural. É autor de diversos livros, entre eles os infantis O rato que roeu o rei (Rocco), Pequenas reinações (Escrituras) e Chá de sumiço e outros poemas assombrados (Autêntica, selecionado para o PNBE, Pinaic e Feira internacional de Bolonha, Itália). Publicou pela editora Patuá A idade das chuvas (poemas) e Fábulas portáteis. Pela Confraria do vento, Da existência enquanto gato (poemas).


  • Encerramento da disciplina de Cinema Brasileiro II com Carol Almeida

    Publicado em 17/05/2021 às 20:59

    O curso de Cinema da UFSC, através da disciplina de Cinema Brasileiro II, ministrada pela professora Alessandra Brandão, tem a honra e alegria de encerrar o semestre de 2020.2 com a participação da pesquisadora, crítica e curadora de cinema, Carol Almeida, em palestra intitulada “Paisagens no cinema brasileiro contemporâneo”, nessa terça-feira (18/05), às 16:00. A professora estende o convite a toda a comunidade acadêmica do ART e da UFSC, bem como a todas as pessoas interessadas no debate.

    O link para acesso é:
    https://us02web.zoom.us/j/81188125354?pwd=Y0hYUkQrQW13NStVZHA3elBXZGVHZz09.

    Sobre Carol Almeida
    Doutora no programa de pós-graduação em Comunicação na UFPE, com pesquisa centrada no cinema contemporâneo brasileiro. Faz parte da equipe curatorial do Festival Olhar de Cinema/Curitiba desde 2017, e já participou da curadoria do Recifest, da Mostra Sesc de Cinema e, mais recentemente, da 2ª Mostra de Cinema Árabe Feminino. Dá oficinas sobre crítica de cinema, curadoria, cinema brasileiro contemporâneo e representação de mulheres no cinema. Integrou júris de festivais como Tiradentes, Mostra de São Paulo, FestCurtas BH, Janela de Cinema e Animage. Escreve sobre cinema no blog foradequadro.com.


  • Disciplinas Optativas Ofertadas pelo Curso de Cinema em 2021.1

    Publicado em 13/05/2021 às 17:45

     

    • ART5009 – Trilha sonora

    Esta disciplina vai valorizar ao extremo a concepção de trilha sonora como espaço para experimentação artística, de acordo com o atual projeto de pesquisa do professor – o mesmo de seu segundo doutorado, que está sendo desenvolvido agora no Programa de Pós- Graduação em Música da Udesc. Ou seja, rejeitaremos radicalmente a concepção funcionalista de trilha sonora como reunião de clichês industriais.A disciplina terá um caráter de oficina.

    • ART5014 – Estudos Culturais

    Os múltiplos espaços e sentidos do termo cultura. A cultura como processo ativo de produção, circulação e recepção de significados, subjetividades e prazeres, bem como de lutas de poder. Estudos Culturais e o Cinema.

    • ART5018 – Cinema e Teorias do Sujeito

    Diferentes paradigmas sobre o sujeito e a personalidade humana. Modernidade e processos de subjetivação nas obras cinematográficas. Teorias do sujeito e criação de personagens para dramaturgia audiovisual.

    • ART5021 – Práticas de Documentário

    O filme documentário. Aspectos históricos. Relação com a ficção, videoarte e com o jornalismo. Aspectos éticos da filmagem.

    • ART5022 – Audiovisual Processo Educativo

    Breve história do Cinema educativo no Brasil e no Mundo. Planejamento e roteirização de produtos audiovisuais educativos. Bases teóricas e técnicas do audiovisual para o contexto de ensino e aprendizagem.

    • ART5023 – Laboratorio de Percepção e Invenção

    Arte, mídia e poéticas contemporâneas em tempo de pandemia. Estúdio de criação.

    Propiciar possibilidades de desencadear devires ao explorar a diversidade sensível em uma vivência criativa; experimentar o desenvolvimento de pesquisa plástica e conceitual participando da criação de um trabalho individual/coletivo.

    • ART5027 – Tópicos Especiais de Cinema I – Direção e Atuação no cinema brasileiro

    Relações entre atuação, direção e mercado cinematográfico no cinema brasileiro do século XX e das primeiras duas décadas do século XXI. Alterações nas maneiras de entender o trabalho de atores e atrizes no cinema brasileiro nas décadas de 1990, 2000 e 2010. A inclusão de atores e atrizes nos processos preparatórios característicos da pré-produção e seus desdobramentos nas relações entre equipe, elenco e direção e na construção da mise en scéne fílmica.

    • ART5028 – Tópicos Especiais de Cinema II – Cinema e Paratextos na Cultura Pop II

    Aprofundamento das noções semióticas de texto e paratexto. Caracterização e análise dos paratextos midiáticos, com foco nos aspectos estéticos de linguagem e dos meios de circulação/consumo. Estudo da produção audiovisual pelo viés da convergência tecnológica e de linguagens, na configuração da cultura pop.

    ATENÇÃO: Essa disciplina é uma continuidade da Optativa Cinema e Paratextos na Cultura Pop, ofertada em 2020.2 A ideia é seguir com as discussões acerca dos mais variados paratextos que circulam e que engendram os mecanismos da cultura pop. Mas, caso o aluno ou aluna não tenha cursado a edição da disciplina do semestre 2020.2 não tem problema, pois as duas primeiras aulas serão de revisão de conceitos fundamentais para a compreensão da disciplina: conceitos referentes às noções de texto e paratexto para a semiótica e conceitos sobre cultura pop.

    • ART5029 – Tópicos Especiais de Cinema III – Produtora Júnior

    Organização e planejamento pelos alunos, orientados pela professora, da volta à operação da Produtora Júnior Café e Fita Crepe do Curso de Cinema da UFSC.

    • ART5030 – Tópicos Especiais de Cinema IV – Convenções e Trangressões: Experimentações na Linguagem Audiovisual

     

    • ART5031 – Tópicos Especiais de Cinema V- Roteiro de séries II

    Dando continuidade e aprofundando a discussão sobre formatos seriados, iniciada em Pré- produção e Roteiro de Séries I (embora não haja pre-requisito), suas especificidades criativas, narrativas e de produção/mercado audiovisual, esta disciplina busca fortalecer o espaço formativo para um importante e crescente formato audiovisual, que tem implicações no campo do estudos da cultura, da dramaturgia e do mercado audiovisual. A disciplina irá tanto aprofundar a engenharia e análise reversa de séries internacionais e nacionais, como discutir aspectos históricos da tradição do folhetim chegando a nossos dias. Com enfoque também na criação de projeto colaborativos e salas de roteiro, envolvendo os alunos da práxis do trabalho criativo colaborativo, com participação de profissionais brasileiros que trabalham no mercado de séries para TV e streaming.

    • ART5032 – Tópicos Especiais de Cinema VI – Estéticas Queer

    Teorias queer. Sexualidades dissidentes na cultura contemporânea. Metodologias in- submissas. Corpos e sujeitos não normativos e resistências na diferença. Escrita e ex- perimentações criativas em perspectiva queer. A perspectiva queer/kuir/cuir decolo- nial.

     

    • ART5033 – Tópicos Especiais de Cinema VII – O Cinema do Brasil entre o AI-5 e os caras-pintadas

    O cinema brasileiro entre as décadas de 1960 e 1990 como instrumento de reflexão histórica, estética e política para o tempo presente.

     

    • ART5034 – Tópicos Especiais de Cinema VIII – A resistência pelo Cinema na América Latina e Caribe 2021.1

    O cinema da América Latina e Caribe da segunda metade do século XX toma para si a tarefa não apenas de refletir sobre as relações sociais, econômicas e políticas do mundo histórico em que está inserido, mas de ação e, quiçá, transformação sobre essas mesmas relações. As perspectivas estéticas, portanto políticas, com as quais as mais diversas experiências vão construir seus filmes, sua teoria e sua prática, podem ser investigadas sob a óptica daquelas e daqueles cineastas que, mesmo em circunstâncias desfavoráveis, arriscam-se em continuar produzindo filmes e experimentando diferentes formas de construí-los. Deste modo, a disciplina A resistência pelo Cinema na América Latina e Caribe cotejará cinema e teoria, muitas vezes apresentada em forma de manifestos, que fundamentam o que ficou conhecido como o Nuevo Cine Latinoamericano e suas adjacências


  • Planos de Ensino 2021.1

    Publicado em 13/05/2021 às 17:25

    ART5009 – Trilha sonora 2021.1

    ART5014 – Estudos Culturais 2021.1

    ART5018 – Cinema e Teorias do Sujeito 2021.1

    ART5021 – Práticas de Documentário

    ART5022 – Audiovisual Processo Educativo 2021.1

    ART5023 – Laboratorio de Percepção e Invenção 2021.1

    ART5027 – Tópicos Especiais de Cinema I – Direção e Atuação no cinema brasileiro 2021.1

    ART5028 – Tópicos Especiais de Cinema II – Cinema e Paratextos Cultura Pop II 2021.1

    ART5029 – Tópicos Especiais de Cinema III – Produtora Júnior 2021.1

    ART5030 – Contratextos- teoria e crítica do audiovisual

    ART5031 – Tópicos Especiais de Cinema V- Roteiro de séries II 2021.1

    ART5032 – Tópicos Especiais de Cinema VI – Estéticas queer 2021.1

    ART5033 – Tópicos Especiais de Cinema VII – O Cinema do Brasil entre o AI-5 e os caras-pintadas 2021.1

    ART5034 – Tópicos Especiais de Cinema VIII – A resistência pelo Cinema na América Latina e Caribe 2021.1

    ART5112 – Teoria da Literatura 2021.1

    ART5113 – Universos da Arte I 2021.1

    ART5114 – Expressões Cinematográficas I 2021.1

    ART5213 Som I 2021.1

    ART5214 – Escrita Criativa I 2021.1

    ART5313 – Som II 2021.1

    ART5314 – Gêneros Cinematográficos 2021.1

    ART5411- Cinema Documentário 2021.1

    ART5414 – Roteirização I 2021.1

    ART5512 – Teoria do Cinema II 2021.1

    ART5513 – Pós Cinemas 2021.1

    ART5514 – Roteirização II 2021.1

    ART5612 – Produção Executiva 2021.1

    ART5711 – Técnicas de Projetos 2021.1

    HST5341 – História do Cinema I 2021.1


  • Etapa Documental de Matrícula – 05 a 26 de maio para aprovados em 1ª e 2ª chamada no Processo Seletivo SISU-UFSC 2021.

    Publicado em 04/05/2021 às 15:42

    No período de 05 a 26 de maio acontece a Etapa Documental de matrícula de estudantes aprovados na 1ª e 2ª chamada do processo Seletivo SISU-UFSC 2021.

    Nesta etapa, as/os estudantes deverão encaminhar a seguinte documentação, de forma digitalizada e legível (preferencialmente em formato PDF, também serão aceitos JPG, ou JPEG ou GIF) para o email cinema@contato.ufsc.br :

    1. Declaração negativa, assinada, de matrícula simultânea em outro curso de graduação da UFSC ou em outra instituição pública de ensino superior;
    2. Documentos de identificação (RG e CPF);
    3. Certificado e histórico escolar do ensino médio ou equivalente;
    4. Autodeclaração da(s) cota(s) de PAA validada(s) por comissão da SAAD;
    5. Comprovante de quitação eleitoral (para maiores de 18 anos);
    6. Certificado militar (para candidatos do sexo masculino);
    7. Atestado de vacinação contra rubéola (para candidatas do sexo feminino até 40 anos)

    Os arquivos digitalizados com os documentos devem ser ordenados e nomeados de acordo com a numeração constante do artigo 5° da PORTARIA Nº 03/PROGRAD/SAAD/UFSC, DE 09 DE ABRIL DE 2021 (portaria de matrícula).

    As vagas que não forem ocupadas serão realocadas para os candidatos subsequentes e imediatos da lista de espera, sendo publicadas no edital de 3ª chamada no dia 31/05/2021.

    As informações completas e detalhadas podem acessadas na página https://sisu2021.ufsc.br


  • Qual sua memória no CINEMA UFSC?

    Publicado em 04/05/2021 às 15:37

    O curso de Cinema da UFSC está completando 16 anos em 2021! 🎉

    E como forma de celebrar, convidamos todas e todos que fazem parte dessa história a compartilharem suas memórias e momentos no curso com a gente!

    Envie através do FORMULÁRIO  ou do nosso WHATSAPP (48) 37216543 e ao longo do ano iremos compartilhar essas memórias pelo instagram @cinemaufsc  🎬

     

     

     


  • Encontro com Jorge Furtado e Ana Luiza Azevedo

    Publicado em 09/04/2021 às 19:58

    É com prazer que o curso de Cinema da UFSC, representado pelos professores Henrique Finco e Aglair Bernardo, recebe os diretores Jorge Furtado e Ana Luiza Azevedo para conversar sobre o filme documentário “Quem é Primavera das Neves?”. O encontro será feito de forma remota no dia 12/04/2021, a partir das 14h00.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    📍 Pelo link: https://conferenciaweb.rnp.br/webconf/cinema-documentario-ufsc

    *As informações sobre o filme e os diretores foram retiradas do site da Casa de Cinema de Porto Alegre:
    http://www.casacinepoa.com.br

     


  • Aula Magna com Joel Zito Araújo

    Publicado em 17/03/2021 às 8:12

    É com prazer que o curso de Cinema da UFSC convida a todos e todas para a aula magna com Joel Zito Araújo. O encontro será feito de forma online no dia 18/03/2021, às 17h00.

    O evento é aberto, apenas solicitamos que enviem um email de confirmação de presença para olhonegroaudiovisual@gmail.com e assim lhes será destinado o link de acesso à sala do Meet.

    A aula também será transmitida ao vivo pelo YouTube no canal do Cinema UFSC.


    Sobre o cineasta:
    JOEL ZITO ARAÚJO é diretor, roteirista e produtor, conhecido por tematizar o negro na sociedade brasileira. Doutor em ciências da comunicação, possui extenso conhecimento e estudos sobre o negro na sociedade, refletindo isso em suas criações audiovisuais. Foi um dos responsáveis pela implantação do chamado cinema negro brasileiro, tanto na ficção quanto no documentário e articulou, junto de outros nomes da indústria audivisual, o Manifesto do Recife, um documento que conclamava o fim da marginalização dos atores, atrizes, apresentadores e jornalistas negros na indústria audiovisual.
    Sua obra inclui o livro e filme A Negação do Brasil, ganhador do É Tudo Verdade em 2001, o longa ficcional As Filhas do Vento (2005), ganhador do Festival de Tiradentes e de 8 Kikitos no Festival de Gramado, os docs Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado (2009). Em 2013 lançou o documentário “Raça”, dividindo a direção com a vencedora do Oscar, Megan Mylan, dentro da temática do negro na sociedade brasileira, e Meu Amigo Fela (2019), com diversos prêmios internacionais. Atualmente está residindo em Cabo Verde finalizando o seu novo longa ficcional, O Pai da Rita.”